Você tem coleção de que?


Eu tenho coleção de caixas. Não é assim uma coleção que se possa dizer: “Nooossa que coleção maravilhosa! Que coleção completa!” Mas é uma coleção de caixas. Caixas dessas coloridas sabe? Aquelas que a gente ganha com algum presente dentro. Da O Boticário, da Água de Cheiro, algumas que vem CD dentro, outras que vem bijoux, enfim. Sou canceriana. Talvez tenha a ver. Talvez não. Acontece que sempre gostei de colecionar coisas. Já colecionei papel de carta, selo, cartão telefônico, biscuit, cartas, e mais alguma coisa que não lembro. Ah! As caixas, claro! Hoje mantenho duas das minhas coleções: A de carta e a de caixas.
As cartas fazem parte de uma coleção além de especial. Acho que nunca contei isso a ninguém, mas minhas cartas são uma paixão a parte na minha vida. Além de coisa de adolescente. Além de mania de canceriano. Quando me pergunto quem sou eu e não sei responder, eu me fecho no meu quarto, pego um saco de tecido muito bem conservado que mantenho no maleiro do meu guarda-roupas, e leio todas. Uma por uma. Até os bilhetinhos. Leio todos!
No decorrer do “momento saudosismo”, enquanto leio minhas velhas cartas, dá até um cisco no olho em alguns momentos. Um nó na garganta. Uma vontade de voltar no tempo. Ah se eu pudesse! Nesse momento tanta lembrança vem à tona! Pessoas que sumiram da memória retornam e me fazem ter as lembranças mais loucas, e legais, e satisfatórias, e felizes que eu poderia ter... Depois de ler uma por uma, guardo todas como estavam antes, coloco no lugar e sigo a vida.
As caixas ficam mais expostas. As coloquei como troféu na estante do meu quarto. Caixas grandes, pequenas, largas, estreitas, coloridas, roxas, laranjas, verdes, amarelas.... Estão lá. As caixas, ao contrário das cartas, não me fazem chorar. Na verdade eu gosto delas porque eu fico imaginando o que eu poderia guardar dentro delas, ou... O que eu poderia achar dentro delas??? Eu não poderia encontrar nada, até porque não ponho nada dentro delas, a não ser de duas ou três que guardo algumas coisinhas... Mas eu fico imaginando as várias coisas que podem ser guardadas, por exemplo, eu! Dentro das caixas eu poderia guardar tudo que me azucrina, tudo que me chateia, tudo que me faz triste. Deixaria de fora só o que me alegra. Seria bom se fosse assim.
O fato é que descobri há alguns dias descobri que tenho uma rinite alérgica. Principal causador: Os ácaros! Malditos! Sabe onde eles estão? Estão junto com o mofo, nos travesseiros, colchões, sofás e onde tenha poeira. E caixas amontoadas nos remete a o que??? Ácaros!!! Mesmo que tire o pó todo santo dia - coisa que convenhamos, nunca acontece!
A médica mandou eu me desfazer de quase tudo: Mural, caixas, cortinas, meus quatro travesseiros e mais o escambau! Ela enlouqueceu né??? Aos poucos me acostumo... Vou me desfazer de uma essa semana e as outras vou tentar arrumar uma utilidade! Por isso, para quem gostar de caixas e quiser trocar comigo, estou à disposição! Pode ser em troca de um brinco, uma blusa, uma calça, um livro... E olha que eu tenho várias.... Caixas grandes, pequenas, largas, estreitas, coloridas, roxas, laranjas, verdes, amarelas....

2 comentários:

Њ Carvalho disse...

Você já ouviu falar em Coleta Seletiva?
Então? Eles passam aqui na rua de casa... Num passam, aí, não?
Kkkkkkkkk... Depois, me chama de pidona... Aff!

Њ Carvalho disse...

Humberta, lembrei de vc, agora!
Catalogando: KING, Stephen Michael. O Homem que Amava Caixas. Brinque.Book

Postar um comentário

porque lá no fundo todo mundo pensa alto!






Pensamentos soltos traduzidos em palavras pra que você possa entender o que eu também não entendo.


Arquivo do blog

Vi na net...

Loading...

Vem dizer...

Vem dizer...
... que às vezes você não pensa alto!