Sinceridade:um caso à parte


Pra você o que é a sinceridade? É falar o que pensa? É falar o que acha? É falar o que acredita? Mas para quem? Em que ocasião? Para que? Segundo o dicionário da língua portuguesa:

sinceridade – s.f.
1. Qualidade de sincero.
2. Misto de franqueza e verdade.

Misto de franqueza e verdade... interessante.
Mas para mim a sinceridade vai além. Vai além do que vc pensa, vai além do que qualquer um pensa.
Sinceridade é a arte de falar, sem restrições, sobre qualquer assunto, principalmente sobre assuntos que envolvem corpo, alma e coração. Eu fui sincera, e posso te dizer, não vale a pena! Pasme, não vale a pena mesmo! Ser sincero é mais que compartilhar o senso comum. Entenda como senso comum aqueles assuntos que costumam ter um forte lado positivo ou negativo. Afinal, eu posso ser sincera dizendo que não gosto de mentiras, que não suporto gente anti-social, que não gosto de falta de educação, que amar é para dois. Mas sinceridade é mais que isso. Será que você consegue perceber?
Não é difícil. Pensa comigo. O próprio nome sinceridade cintila... brilha... sua sonoridade se mistura com o significado – que tem para mim – e me faz pensar em águas nunca tocadas, em uma criança virgem, pura, emaculada. Pureza. Talvez seja essa a definição. Sinceridade é pureza. Não que quem seja sincero seja puro. Não necessariamente. Mas o ato, a prática da sinceridade, é pura. Porque independente do que você ache, pense ou acredite, sua opinião ou “achismo” é puro. E é puro porque é o que você acredita, é o que está registrado no fundo de sua alma. Mas fuja do senso comum. A sinceridade só é pura quando você a destrincha, a abre, a despedaça e a joga na mesa. É quando o elemento fundamental nas relações humanas – o desconfiômetro – te falta. É aquela opinião que você até gostaria de dizer, mas não disse. É aquilo que você sabe que todo mundo sabe e todo mundo sabe que você sabe e mesmo assim você fala.
Sinceridade, digo a sinceridade pura, não é para qualquer um. E muito menos para com qualquer um. Eu fui sincera.
A sinceridade pura não é fácil de ser praticada. Até porque não é com qualquer um que você pode exercê-la. Isso porque ela causa dúvidas. Sim caro amigo. Ela causa dúvidas. E muitas dúvidas. Dúvidas que nunca são respondidas. Ela causa também interpretações diferentes. Ela faz as pessoas acreditarem que você premedita ou calcula seus atos. Ela faz as pessoas não acreditarem em você. Isso porque, você é sincero demais quando a pratica. Ela faz as pessoas acharem que você não sabe o que quer. Ela machuca quem te cerca ou quem você escolheu para praticá-la.
Quando eu disse que ser sincero não vale a pena, era a essa sinceridade pura a qual eu me referia. Quando você a pratica você deixa de ser prático. Então, porque ser sincera? Eu fui sincera.
Agora tire suas próprias conclusões. Certamente você não vai entender ou vai interpretar diferente tudo que eu quis dizer. Mas tudo bem. Essa é uma das consequências de ser puramente sincero. Onde isso vai me levar? Não sei. Sei que fui sincera. E sinceramente falando, vou continuar sendo.

5 comentários:

Anônimo disse...

Continue sim, sendo sincera. Esta é uma qualidade. Nem todos entendem, apreiam isso. Que se foda! O correto mesmo é ter a consciência tranqüila. Não culpo as pessoas que não valorizam a sua sinceridade, esta que vc quis estampar, ou deixar implícita no decorrer do texto. O mundo, o sistema, o medo faz com que as pessoas prefiram a "falsidade", a opinião pública, o senso de vergonha, às vezes contraditório. No final, são as pessoas sinceras, únicas, diferentes e autenticas é que fazem a diferença. Nem toda perda é irremediável. Até com as perdas se ganha. Muitas vezes uma conquista é uma perda, haja vista grandes desgastes, grandes responsabilidades... Seja feliz!

Eu

Humberta Carvalho disse...

nunca nada estará perdido.

Њ Carvalho disse...

"não suporto gente anti-social"! Que mentira! Você me ama!
Agora... Betú, "A linguagem é uma fonte de mal entendidos..." Sincero ou não, sempre seremos mal interpretados...

Fernando Henriques disse...

Cheguei ao seu blog através da busca por imagens relativas a sinceridade, e gostei dos seus escritos. Sou editor da revista digital Feedback Magazine, que possui várias colaboradores em diversas áreas. Dá uma olhada lá, vê se curte o projeto e de repente se interessa em participar. É isso, forte abraço, olha o link aqui: http://www.feedbackmag.com.br

Anônimo disse...

Puxa é justamente como me sinto. Sou sincera demais e acabo magoando quem eu amo e fazendo que me odeie ainda mais os que não gostam da verdade. A partir de hoje serei a pessoa mais falsa deste mundo.Estão lascados na minha mão. Gente!!!É pura verdade, as pessoas preferem a mentira são covardes ao ponto de nem eles assumirem algo quando mente.

Postar um comentário

porque lá no fundo todo mundo pensa alto!






Pensamentos soltos traduzidos em palavras pra que você possa entender o que eu também não entendo.


Arquivo do blog

Vi na net...

Loading...

Vem dizer...

Vem dizer...
... que às vezes você não pensa alto!