Romaria do Divino Pai Eterno

Ontem fui pra Trindade a pé. Sai do trevo por volta das 20h - demorei esperando meu namorado (a Noiva) que estava assistindo GanaXUruguai, o que não rendeu muita coisa porque Gana perdeu e os fdp do Uruguaia estavam torcendo pra Holanda mais cedo. Tudo bem, eu também acompanhei o final alucinante da prorrogação e os pênalts. Haaaaja coração amigo.

Eu assisti, e também já estava pronta. Dentro de uns 15 minutos a Noiva chegou e finalmente nós iríamos para o trevo. Não. Ainda não. Ele parou no supermercado para comprar uns quitutes e coisinhas mais. Paaara que??? Tudo bem... seguimos para o trevo e deixamos o carro no estacionamento ali próximo. No relógio 20h.

Caminhada longa. Um pouco de reza no início para agradecer ao Divino Pai Eterno as graças recebidas ao longo do ano e as que ainda virão. A Noiva um pouco lenta - que saudade do papai que anda firme e rápido acompanhando meus passos e eu os dele. Estrada cheia, a Noiva parando ás vezes para fazer um xixizinho, às vezes para um alongamento. Prova de paciência! Meu Diviiino Pai Eterno!

Quase meia noite e a entrada da cidade! Que maravilha. Minha garganta já não aguentava engolir a saliva - já vinha desgastada há alguns dias - e as pernas já estavam anestesiadas pela dor. Vamos ao santuário. Lágrimas em agradecimento. Igreja cheia. Gente chegando o tempo todo, uma loucura! No relógio, meia noite.

A idéia inicial era voltar de ônibus até o trevo, pegar o carro no estacionamento e seguir para casa. Boa hora para utilizar o City Bus - sistema de van coletiva com ar condicionado, rede que dá acesso à internet, bancos de ônibus de viagem e passagem cara. O City Bus não é muito utilizado dentro da cidade, o preço não ajuda, muito menos a rota. Mas na situação em que nós romeiros nos encontrávamos, tudo que queríamos era voltar de City Bus até o trevo, numa boa, sem o calor humano - se é que você me entende - dos ônibus convencionais.

Meia noite e pouco, três vans no ponto, uma fila imensa e a fiscalzinha grita: "City Bus agora só amanhã! As vans já recolheram! Agora só dá pra levar esse pessoal aqui da frente! Vocês tem que ir pra rodoviária pegar o ônibus convencional!" COMO ASSIM????? Tá de lazer com a minha fase, pensei. Eu e a Noiva já não aguentávamos ficar de pé em cima de nossas pernas.

Talvez ela tenha contado errado o tanto de gente que cabia nas vans - a capacidade é de 27 pessoas, todas sentadas - a esperança é a última que morre. Ainda bem! Quando eu já ia me preparando para outra caminhada até a rodoviária, que por sinal estava longe pra baralho, chegou outra van. "Essa é a última!" gritou a talzinha da fiscal. Coube o restante do pessoal que havia chegado por último comigo e ela dispensou o restante.

Engraçado esse povo não é? Na hora de ganhar dinheiro eles arregam!
Fala sério!

1 comentários:

Hb Carvalho disse...

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Dá próxima, leva a daminha, aqui! Quero me diverti, também! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

Postar um comentário

porque lá no fundo todo mundo pensa alto!






Pensamentos soltos traduzidos em palavras pra que você possa entender o que eu também não entendo.


Arquivo do blog

Vi na net...

Loading...

Vem dizer...

Vem dizer...
... que às vezes você não pensa alto!